Os textos deste blog estão sob licença

Creative Commons License

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

O galã Lázaro Ramos e o debate sobre racismo

A elevação de Lázaro Ramos ao posto de galã da principal telenovela global tem gerado controvérsias. Pulula nos blogs e redes sociais um burburinho: alguns questionam a beleza física do ator (que não satisfaria os padrões vigentes), outros apontam inverosimilhança; muitos simplesmente dão vazão a seu abjeto ódio racial.

Graças a estes últimos, não restam dúvidas de que há um forte componente racista em muitos dos questionamentos feitos ao galã negro. Isso é inegável. Mas seria essa a única ou mesmo a principal razão para a polêmica?

Sem que permita qualquer relativização do racismo de muitas das manifestações – e do quanto este é abominável -, a possibilidade de que a má recepção inicial ao conquistador personificado por Lázaro se deva a razões objetivas, não concernentes à cor da pele, traz à tona e evidencia ambivalências e paradoxos recorrentes e aparentemente insolúveis que perpassam muitas das discussões sobre temáticas raciais.



Protagonismo
Lázaro Ramos é um grande ator. Ao lado do conterrâneo e companheiro de geração Wagner Moura – com o qual contracenou em alto estilo no shakesperiano Cidade Baixa – tem se mostrado, muito provavelmente, o maior talento dramático masculino surgido nos últimos 15 anos.

Mas seria realmente um homem muito bonito, que chama a atenção, como se espera que um galã de novela o faça? Trata-se de uma pergunta desagradável e fútil, mas inescapável.

Mais: no formato estafante de gravações imposto pelas telenovelas atuais e numa trama tão rocambolesca que, logo no início, um casal flerta enquanto um avião cai (!), conseguiria Lázaro manter um alto padrão de atuação ou resvalaria para a canastrice?


Conflito de imagem
Outra questão, talvez mais importante, diz respeito à imagem que o ator projetou de si mesmo na televisão. Embora tenha participado, em papéis dramáticos, de filmes nacionais altamente elaborados - com destaque para Madame Satã, de Karim Ainouz (foto acima) - na telinha sua figura está muito associada a tipos cômicos, graças a novelas e à série Ó, Pai, Ó.



Uma amiga do blog resume os efeitos dos fatores acima na má recepção do galã de Insensato Coração:


“O biotipo dele cola como galã engraçado, entende? Não para galã lindo tipo Denzel Washington... falta pegada”... "E me parece que ele ainda não achou o tom do personagem”.

É apenas uma opinião pessoal, mas com fundamentação argumentativa. Pode-se concordar ou não com ela, mas não simplesmente descartá-la como racista, sob o risco de incorrer em injustiça e truculência, tal como fazem os que atacam Lázaro movidos pelo ódio racial.


Perfil discreto
Uma terceira questão diz respeito ao modo como Lázaro administra sua figura pública. Ao contrário do protagonista de Tropa de Elite, falastrão e de uma ingenuidade política a toda prova, Lázaro faz questão de manter um certo low profile.

E talvez até aí seu modo franco de ser trabalhe contra seu personagem Don Juan. Sobre este, que vive cercado de ao menos duas loiras, ele afirmou recentemente, com modéstia peculiar: “Uma mulher já dá muito trabalho. Imagine duas?”. Convenhamos, na era das façanhas sexuais publicizadas, não é o que se costuma ouvir da boca de um galã global...


Racismo impregnado
Como já dito, não restam dúvidas de que há muito de racismo nas reações – algumas extremamente agressivas – contra o conquistador personificado por Lázaro. Mas são manifestações que certamente aconteceriam se o personagem estivesse na pele de outro ator negro, pois o objeto de sua ira é a possibilidade de um galã com tal perfil étnico-racial.

Muito provavelmente há, nessas reações, um forte componente reativo contra a ameaça suscitada pelo mito do homem negro sexualmente insaciável e bem-dotado - não obstante o fato que, como o demonstram os estudos raciais, essa própria caracterização acaba por constituir-se em mais um fator de racismo, ao circunscrever os negros a um determinado estereótipo sexual fetichizado.

É possível, por outro lado, que muitos dos que rejeitam, com argumentação coerente, a performance de Lázaro Ramos como galã estejam sob influência inconsciente de um racismo pervasivo.

Ainda assim, a hipótese de que Lázaro não esteja mesmo bem no papel não pode ser descartada – até porque recusar, devido exclusivamente à cor de sua pele, a possibilidade de que um ator esteja atuando mal seria incorrer no mais contumaz racismo.


(Fotos tiradas, respectivamente, daqui, dali e dacolá)

16 comentários:

aiaiai disse...

não assisto novela, mas nos filmes que vi com ele sempre o achei um homem muito bonito. Não teve uma novela em que a protagonista era uma negra? Teve esse debate também?

Anônimo disse...

Concordo com tudo que escreveste. Muito bem colocado a questão, ainda citando um ator considerado bonito (Denzel Washingto) para contrastar com a escolha, ao meu ver, equivocada da Globo. A questão nao é a raça, é a incoerência estética de ator/personagem/história. Se a história desenvolvesse em um clima de personagem "bom de papo" e "atraente e intrigante" tudo bem, mas trata-se de um personagem em que a história obviamente quer mostrar um galã (alguém bonito). Escolha equivocada de ator (não pela cor da pele) ou de personagem/história.

Maurício Caleiro disse...

Teve uma novela protagonizada por uma atriz negra no papel da "mocinha". Esta foi encarnada pela Taís Araújo - que, coincidentemente, vem a ser esposa do Lázaro Ramos na vida real.

À época, ocorreu também um intenso debate, agravado pelo fato que, no decorrer da novela, outra personagem, branca (na pele de Alinne Moraes), passou a receber maior atenção do público, tornando-se, de facto, protagonista.

bete disse...

lendo me ficou uma pergunat na cabeça, eu que consiidero Lázaro bonito, bacana..será que negro fica sexy só quanto tejm uma baianidade nagô no papel? ou seja o negro está no seu lugar e de certa forma estereotipado? porque desta vez Lázaro não é pobre nem baiano é um mauricinho típico...um ricaço meio babaca, papel típico de brancos...
mas eu que sou noveleira só acho mesmo ainda que ele não encontrou o tom do personagem mesmo por isso não está muito versossímel e excelente como ficou em Cidade Baixa, que eu adoro, ou até como o Foguinho de outra novela em que ele teve enorme destaque e era papel cômico.
mas o que tem de verossímel no pessoal se apaixonando perdidamente a 1ª vista num avião caindo num é mesmo? rs

Vera Pereira disse...

Eu acho o Lázaro Ramos um homem muito bonito. E excelente ator. Pelo que vi do primeiro capítulo, não pretendo assistir ao resto, creio que ele sabe que está encarnando justamente o mito do negro bem dotado e sexualmente insaciável como você diz. E o faz de maneira crítica, digamos assim. Gozando o próprio personagem que o autor lhe deu. Aliás, dado o ridículo de toda a novela - não preciso assistir para saber do que se trata, o lugar-comum de sempre - e, especialmente, das falas que o autor escreveu, acho inteligente da parte do ator levar tudo no deboche mesmo. Me parece que essa "polêmica" racista é justamente o que o Gilberto Braga pretende suscitar nesse início de sua "obra" televisiva. Lázaro Ramos merece papeis melhores e mais respeito. O mesmo não diria do Gilberto Braga e da Rede Globo.

Anônimo disse...

Eu também acho que o Lázaro ainda não achou o tom certo pro personagem de galã. Ao invés de tentar usar o charme, ele tem usado um tom arrogante e isso não cai bem pra um galã. Fica parecendo que ele quer se vingar das mulheres e não conquistá-las.

sandra disse...

Lázaro é um grandioso ator.É lindo e fico até emocionada com um negro protagonizando uma novela da Globo. Com certeza ele vai arrazar, como em tudo que faz. A novela só começou, é impossível dizer se colou ou não. Não tenho dúvida que o desempenho dele vai impactar até o mais racista. Minha gente um pouco de generosidade e força de vontade pra despachar o racismo encrustrado na nossa mente faz muito bem!!!

Jorge disse...

Lázaro ramos, Bonito? A ponto de ser Galã?
Por favor, sem hipocrisia.
Ninguém duvida do talento e da grandeza do próprio como ator...
A questão é que ele definitivamente está fora da padrões de beleza atuais... Passa longe!
Se houve algum debate em relação à Taís Araújo, não foi em momento algum pondo em dúvida sua beleza. Aliás, uma mulher lindíssima, opinião unânime.
Agora, se quiseram colocar um papel desses no colo de um negro, tenho certeza que existiriam negros realmente bonitos a serem escolhidos.
Fora isso, bola fora para o autor e pior ainda para o ator, com uma bagagem absurda, que passa por um constrangimento dessa proporção sem nenhuma necessidade...

Apache disse...

Não sou chegado a novelas, mas esta das nove da Globo está me chamando a atenção, pois a quebra de um paradigma está dando o que falar. O fato de Lázaro estar interpretando um galã e pegador está mesmo incomodando muita gente, pois o povo não está acostumado a ver na TV (ainda mais na maior emissora e em horário nobre) cenas em que o galã seja um cara não bonito, ainda mais sendo negro, como é o caso do Lázaro Ramos.

Na minha opinião, o Lázaro de fato não é um cara que tem uma beleza de Apolo. Mas e daí? Só por causa disso o cara não pode ser galã??? Eita preconceito físico bobo, gente! Do jeito que certas pessoas comentam (não só aqui neste weblog), dá a entender que o Brasil é um país formado só por um tipo de pessoa: as belas.

Somos fruto de uma miscigenação e tem muita gente que pensa que vivemos na Dinamarca ou Finlândia !!


Em algumas cenas pode haver apelação? Sim, pode, mas isso é novela, gente, é ficção!!!


Penso que boa parte desses comentários são fruto da ignorância de algumas pessoas, pois doem-lhes os olhos ver um "diferente" assumir um papel até então consagrado a um "semelhante". O fato de Lázaro culturalmente ser considerado não-bonito fisicamente faz com que algumas pessoas "torçam o nariz" ao vê-lo em atuação.

Espero que outros autores explorem em suas novelas situações do cotidiano representadas de forma diversa da que estamos acostumados a ver.

A mídia audiovisual naturalmente favorece o esbelto, o rostinho de feições eurocêntricas, o físico da moda, que muitas vezes não abrange todas as camadas sociais, de forma a incluir grupos e excluir outros. Há anos, só uma parte da sociedade é representada na TV. Negros, deficientes, obesos, índios, homossexuais sempre foram colocados à parte.

Mas graças a Deus, vemos que, mesmo paulatinamente, esse cenário está mudando.

Espero que um dia as pessoas aceitem normalmente, sem surpresas, sem aquele silêncio constrangedor, sem comentários maldosos as quebras de paradigmas que a TV vem nos mostrando nas novelas, nos telejornais, nos programas de auditório. É uma vitória para o povo. Temos que pensar assim!!!


Parabéns ao autor por retratar esta outra maneira de empossar o galã da novela das oito. Sucesso para o Lázaro e que encare as críticas maldosas com a classe que lhe é peculiar!!!

Anônimo disse...

o paradigma já foi quebrado quando a Thais Araújo protagonizou a primeira personagem negra de uma novela, no caso ela é lindíssima, se na época houveram comentários racista é outra estória.
agora, imaginem o Lázaro Ramos de cor branca, ainda assim seria feio.
sim, ele é um excelente ator, mais desprovido de beleza física.
a incoerência do papel de galã está justamente na falta de beleza e caráter.
como pode uma mulher simpatizar com um tipo como André? Um cara que usa a mulher e a descarta após uma única relação sexual, como se fosse um copo de plástico.
como aceitar que uma mulher como Carol (Camila Pitanga) fisicamente esplendorosa, vive implorando para que André volte a levá-la para a cama?
ai está o ponto chave - a glorificação do personagem, que destoa da vida real e fictícia, chega a ser um exagero a forma como as mulheres o encaram.
vamos ser realista, as muheres interesseiras se aproximam de um homem desprovido de beleza se elas souberem que ele tem uma vida financeira estável.
fora isso é difícil flertar de primeira como fazem as personagens que contracenam com o Lázaro.
no primeiro momento um personagem galã chama atenção pela beleza e se tiver uma posição social melhor ainda.
acredito que se o ator fosse bonito não estaria causando polêmica, porque existem atores negros belíssimos.
portanto, vamos deixar de hipocrisias, é no mínimo insensato e leviano chamar as pessoas de preconceituosa porque não concordam com o título de galã para o personagem de Lázaro.
segundo o dicionário Houaiss o termo galã significa homem belo.

Anônimo disse...

Materia explicando o preconceito sofrido por lazaro ramos por ser um ator negro interpretando um pegador rico numa novela das 8
http://baoobaa.com/home/lazaro-ramos-incomoda

por favor peço que repassem essa reportagem precisamos ajudar o pessoal a abandonar seus preconceitos

viviane disse...

Aprecio a beleza negra, principalmente,a beleza negra masculina, que ,invariavelmente está ligada à virilidade.
Também aprecio muito o trabalho de Lázaro Ramos, excelente ator!
Mas não consegui ainda ,gostar dele nesse papel. E lamento, pois, é muito chato olhar sua imagem e lembrar, quase sempre, de seu papel em " O Homem que Copiava".
Acredito que, no meu caso ,em particular,seja apenas falta de costume, já que o ator em questão nunca havia feito papel semelhante a esse.

DVCINE - Perfil disse...

É engraçado.. quando Usamos o direito de Expressão.. Liberdade de Pensamento.. e emitimos.. que FULANO É FEIO AO QUADRADO.. logo é Taxado como Preconceito...
Acho uma Burrice..isso.. Negro.. não gosta de ser chamado no aumentativo.. agora Pensem..
Chamamos os Japoneses de Japoranga.. os Alemão... de Alemão.. e eles não ficam bravos nem dizem ser PRECONCEITO... ah.. eu. .me chamam de Latino Americano.. será que é Preconceito?
O Ator em questão.. não teria moral.. na vida Real com tantas Mulheres lindas.. pois na Vida Real.. a Beleza ainda é Fundamental.

Dreams disse...

Quando você coloca o Lázaro para ser galã negro, é a mesma coisa que voc~e dizer que não existem negros bonitos.

Poderia ser colocado como galã o Rafael Zulu, que é bonitão, agora Lazaro Ramos é uma forçar a barra, não colou.

No caso das mulheres negras, elas são lindíssimas como a Thais de Araújo, Aline Rosa, entre outras..

GILMÁRIO disse...

tudo que é relacionado a negro e a homossexuais é tratado como racismo ou homofóbia! Agora querer empurrar o Lazaro Ramos como um galã pegador é demais né?

Anônimo disse...

É claro que o personagem do excelente ator Lázaro Ramos estava exagerado, tanto assim que as cenas rídiculas e inverossímeis dele conquistando moças na pista de cooper da Lagoa acabaram. Fala sério, Lázaro Ramos como galã irresistível é demais! Mas eu acho que essa era a intenção dos autores da novela, causar polêmica, discussões sobre racismo. Racismo também é achar todo negro bonito só porque é negro.