quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Redação - A eleição

Oi, meu nome é Gustavo, mas todo mundo me chama de Gugu. Eu não gosto, porque gugu é coisa de bebê, mas minha mãe me disse que o bom cabrito não berra e que é melhor eu não brigar. Não entendi o que o cabrito tem a ver com o peixe, digo, com o apelido, mas deixa pra lá... Eu só tenho 9 anos e sou bem magrinho, então é melhor não brigar mesmo.

Hoje eu vou contar pra vocês a história da eleição no clube da escola. O que eu queria contar é o roubo que foi a vitória do Botafogo no meu Mengão, mas a professora me disse que esta redação não é livre. O tema é eleição. É linda a Tia Lair, mas tem dia que ela me irrita! (não pode chamar ela de Tia, mas aqui, só entre nós, eu chamo mesmo!).

Então vamos lá: logo quando eu cheguei na escola ia ter eleição pro Clube e todo mundo dizia que o Fernandinho ia ganhar. Ele era um menino muito falante e metido. Eu não gostava dele, mas as meninas gostavam, diziam que ele parecia um príncipe. Que raiva!

O chato do Fernandinho ganhou mesmo. Ele ficou quatro anos no trono. Mas ele gostava tanto de mandar que quando acabou o tempo dele ele queria mais. Daí ele distribuiu a mesada pruns amiguinhos, eles modificaram um tal de estatuto e deixaram ele ficar mais quatro anos. Que abuso! Gozado que ninguém falou nada dessa mensalãozada!

Quando Fernandinho deixou o trono, o Clube ia muito mal: os meninos não conseguiam vaga nem pra vender amendoim e o caixa tinha toda hora de ir pedir dinheiro ao tio, o Sam, que morava num tal de Fundo.

Fernandinho fez de tudo para eleger depois dele o Zezinho, um menino também muito metido que gostava de dar uma de sabichão. Ele fingia entender de economia, de saúde e até de eletricidade (ele era malvado e gostava sempre de dar um tal de choque de congestão). Eu não acho que ele entende de nada disso, não.

Só que dessa vez o jornalzinho da escola não era mais o único lugar onde a turma podia saber sobre a eleição. Descobrimos a internet e os blogues, que falavam umas verdades que a gente nunca tinha pensado antes. Eu adoro a internet. Se eu pudesse, ficava o dia inteiro navegando nela. Mas minha mãe fica me regulando... Mas bem que ela gosta também... ela põe cada foto dela no Orkut que nem parece ela!

Nessa época tinha também uma tal de crise. Meu pai falava nela toda hora, ficava muito nervoso e abria uma cerveja depois da outra. E minha mãe dizia que eu tinha que estudar mais por que ele quase não tava conseguindo pagar a escola. Ué, o que tem a ver uma coisa com a outra? Quanta pressão para um pobre garoto!

Muitos amigos meus trocaram da escola nessa época. Foram para “a pública”, que eu não sei o que é mas deve de ser horrível, porque minha mãe fala nela sempre cochichando e olhando pros lados, igual quando ela fala da namorada do meu primo.

Daí que, por tudo isso, daquela vez os alunos preferiram eleger o Luizinho, mesmo ele vindo de família pobre, não tendo estudado tanto quanto o Fernandinho e o Zezinho e falando com um sotaque igual do zelador do meu prédio, o seu Evilásio, que fica uma fera quando eu toco as campainhas e saio correndo. Re, re, re!

Luizinho também ficou 8 anos no trono do Clube. Muita gente gosta do que ele fez. Os moleques que não conseguiam vaga nem pra vender amendoim arrumaram emprego e as mães que quase não conseguiam pagar o colégio agora compraram cada carrão! Isso enquanto muitos colégios chiques da vizinhança faliam.

Mas os que não gostam do Luizinho, detestam. Quando a gente pergunta por que dizem com raiva que ele não sabe nem falar. Eu não quero nunca falar errado. Já vi que falar errado desperta muito ódio nas pessoas.

Mas agora tá chegando a hora do Luizinho sair. Ele indicou uma menina, a Dilminha, como sua candidata. Teve um pessoal que achou esquisito porque menina nunca que sentou no trono do Clube do Bolinha. Mas eu gostei: se a professora manda em nós tudo e é menina também, então tá tudo certo. Desde que não venha só com brincadeira de menina que aí também não dá, né?

O Zezinho, que tá mais metido a sabichão ainda, quer disputar de novo trono, dessa vez com a Dilminha. Só que que o clubinho mixuruco que ele comanda agora tá toda hora inundado de água e ele vira e mexe manda a segurança bater nos meninos, e até nas meninas! Então poucos alunos querem votar nele, é claro!

Então o Fernandinho, que nem menino não é mais, resolveu entrar na briga. Juntou tudo seus amigos no jornal da escola e chamou pro pau. Daí o Augustinho, que é puxa do Fernandinho que só ele, acha que o Luizinho tem que debater com o Fê-Fê.

Ué, mas a briga não vai ser da Dilminha com o Zezinho? Que que adianta o Fernandinho e o Luizinho, que já sentaram no trono e não são candidatos, debater? Num tô entendendo... Alguém me explica, por favor?



(imagem retirada daqui)

2 comentários:

iaiá disse...

hahahhha adorei. a professoar deu nota dez ou tascou um zero?

Maurício Caleiro disse...

5,5. Ele é serrista mas quer disfarçar, ra, ra, ra!!!