segunda-feira, 4 de abril de 2016

Especialistas de estimação

Um dos efeitos mais bizarros da difusão das redes sociais é que tem especialistas, profissionais reconhecidos e gente com reputação de séria para respaldar virtualmente qualquer opinião, em qualquer disciplina.

Se aquela ideia do Swift de matar crianças de rua para fazer salsicha com a carne delas e acabar com a fome no mundo for lançada no Facebook ou no Twitter, aposto que vão aparecer nutricionistas e sociólogos com projeção nacional para respaldá-la.

E, na dinâmica atual das redes, em que - como várias pesquisas mostram - as pessoas tendem a se juntar em grupos com interesses e ideologias afins, o resultado é que praticamente qualquer posição, por mais esdrúxula e insustentável que seja, acaba corroborada por opiniões de peso.

Em última análise,o efeito é que muitos tornam-se convictos de sua posição - e da legitimidade desta, a despeito de critérios objetivos de validação.

Durante os anos 90, antes da web 2.0, disseminou-se o prognóstico de que a internet diminuiria significadamente o prestígio e a função social dos especialistas. Talvez esteja acontecendo o oposto: eles se tornaram onipresentes, independente de posicionarem-se com a maioria ou com grupelhos.

Desnecessário apontar que, em um cenário político de polarização extrema, tal processo atinge o paroxismo - e com resultados os mais nefastos.



(Imagem retirada  daqui)

Nenhum comentário: